Depoimentos de clientes


Valentina e Bruce

Adotamos a Valentina e a recebemos com muito amor, mas ela tinha muitos traumas, e não suportava ficar sozinha em casa, tinha o famoso medo do abandono.
Quando entramos em contato com a Flávia, era  nossa última esperança. O que não sabíamos é que seria mesmo nossa última tentativa, pois daria certo! Ela tem o dom de conquistar os cãezinhos sem fazer esforço. Logo de cara a Valentina já adorou a "tia Flávia"!
Ficamos encantadas com o amor que ela tem pelo que faz, e por todo o conhecimento que nos passou. Sabe aquelas dicas que você jamais imaginaria que daria certo, mas no final dá muito certo? Pois é, foi o que aconteceu! rsrss
A Valentina era uma cachorrinha difícil de nos obedecer, mas hoje precisamos falar somente uma vez. Se tornou menos dependente de nós, e consequentemente parou de destruir as coisas. Além disso, levá-la para passear se tornou prazeroso e não mais uma guerra sem fim. 
Valentina e Bruce

Então, em uma feira de adoção, resolvemos adotar o Bruce com 3 meses de idade, um filhote muito brincalhão e com muita energia, que destruía a casa, mordia, não tinha limites e infernizava a Valentina, inclusive comendo a comida dele e a dela!
Com o adestramento ele melhorou muito, e tem respeitado limites com mais facilidade.
Flávia, só podemos agradecer por todo o apoio, dedicação e esperança que você nos deu. É admirável seu jeito de lidar com os cachorrinhos, e a mágica que acontece depois que você aparece! rsrs
Muito obrigada por nos ensinar a lidar com o trauma da Valentina, de uma forma boa para nós e para ela. Sempre indicaremos o seu trabalho p as pessoas, pois é muito melhor quando temos alguém com conhecimento para nos guiar.
Agora a Valentina é outra cachorra, além de muito sociável, e também passa o dia brincando com seu irmãozinho Bruce!
Um bj e mais uma vez obrigada!

Natalia, Lorena, Valentina e Bruce


Duda, Bela e Cléo

"Competência e honestidade. São as primeiras palavras que me vem à cabeça quando penso na Flávia. Depois de várias tentativas frustradas e muito dinheiro gasto com outros profissionais cheguei até a Flávia. Eu tinha uma queixa bem específica...depois que chegou minha terceira cachorra, ficou impossível passear com as 3 pestinhas! 
Duda, Bela e Cléo

Já na primeira consulta a Flávia resolveu meu problema. Praticamente um milagre! Chegou toda alegre e carinhosa com as dogs, e conquistou até a Duda, que é muito medrosa e desconfiada. Ela me deu várias dicas boas, mas focou na minha queixa. E um passeio depois, com muita competência identificou o problema de cada uma das cachorras e apresentou a solução. 
E foi muito honesta, pq me disse que só essa aula bastava, que eu já ia conseguir sair sozinha com as 3. Podia ter me cobrado mais algumas aulas, me enrolado, mas não! Preferiu ver minha satisfação de cliente garantida!!! 
Desde esse dia, consigo passear com as minhas filhotas tranquilamente. O que antes era um pesadelo, virou uma alegria! Não tenho nem como agradecer a você Flavia!
 Minhas cachorrinhas estão muito mais felizes e tranquilas agora que conseguimos passear com frequência!!! Muito obrigada! Desejo muito sucesso na sua profissão!"

Letícia e família canina :)

Boi


"Boi é um cão vira lata de 09 meses, e estou c ele há mais ou menos 07 meses, mas acompanhei-o desde o nascimento. Ele sempre foi muito carinhoso e brincalhão, mas tem uma personalidade dominante bastante forte, e c o passar do tempo, começou a pular em todas as pessoas q entravam em casa, latia p qq barulho no corredor do edifício e fazia brincadeiras de morder inclusive c os humanos. 
Boi

Conheci a Flávia através do veterinário do Boi, numa época em q ele estava c bastante energia e quase incontrolável (começou a comer coisas em casa e exigir cada vez mais atenção). Fizemos uma primeira consulta p tentar diminuir a ansiedade e controlar a dominância dele e fiquei muito contente. 

Aprendemos comandos básicos, q na minha opinião foram fundamentais p ele entender q não pode fazer algumas coisas. Além disso, a Flávia me ensinou como proceder p ele parar de pular nas visitas, q era o q mais me incomodava em seu comportamento. Depois dessa primeira consulta, Boi aprendeu a ficar mais calmo qdo chegamos em casa. Achei incrível como foi rápido, e agora ele deita de barriga p cima qdo alguém chega!

Depois de todos os exercícios, e do conjunto do q aprendemos, fez c q ele absorvesse o pensamento de q aquele é o meu espaço, e ele deve respeitá-lo. Já fizemos uma segunda aula c a Flávia, e elas são ótimas, não somente p estreitar a relação c o dono, mas tbm p q o cachorro se desenvolva mais tranquilo e seguro. Gosto muito da postura dela nas aulas, da forma como trata o Boi, e da forma respeitosa como indica o q estou fazendo de errado e preciso mudar. O Boi por sua vez, ama qdo a tia dos petiscos chega em casa! Espero q o Boi sempre tenha algo novo p aprender p gente continuar chamando a profª Flávia."

Bruna e Boi

Nera


"Oi pessoal, meu nome é Francesa, e dou conta da Nera, uma Cane Corso, que ERA muito medrosa... Tinha medo de qualquer pessoa, inclusive de todas as pessoas da casa...

Chamei a Flávia, por indicação da veterinária, para poder levar minha gorda para fazer exames e para a castração, algo totalmente impossível de se realizar com a Nera. 
Lucky e Nera

A Flávia veio em casa em pleno domingo, perguntou, explicou e começou! Na mesma hora estava ela lá passando a mão na Nera, pareciam velhas amigas!!! Logo percebi que a confiança havia sido estabelecida por ambas.
Ela passou as tarefas e nós fizemos com todo o amor. A cada dia a Nera melhorava um pouco. Ficamos pasmos porquê na terceira aula a Nera saiu para passear na rua sem o medo absurdo que costumava ter, quase caí dura de tanta emoção! Hoje posso sair tranquilamente com ela no peitoral e meu labrador juntos, na mesma mão. Ela adora passear! Ainda fica receosa com as pessoas, mas muito menos que antes.

Nosso amor pela Flávia é eterno... a gorda e nós  não sofremos mais. Agora somos uma família de duas e quatro patas feliz, graças ao trabalho feito com amor e muito conhecimento. E como não falar da energia maravilhosa da Flavinha? Minha eterna amiga, amor não tem preço, somos teus fãs! Obrigada de coração!"

Francesa e família humana, felina e canina

Ivy


"Tenho uma spitz chamada Ivy de 1 ano e 6 meses, antes muito temperamental, que destruiu a casa toda e não permitia que fizéssemos carinho nela, fora que era muito agressiva. 

Tentamos adestramento com uma empresa famosa, durante 3 meses, mas não obtivemos êxito... Mas com a chegada da Flávia na primeira sessão, já ouve um ótimo entrosamento com a Ivy, e tivemos a certeza de que estávamos no caminho certo.
Ivy

Ela fez um trabalho bacana misturando exercícios, carinho e sem nenhuma violência com a Ivy, e foi muito diferente da equipe anterior. A Ivy a adora e nós também! Em tão pouco tempo se tornou especial para a família toda! Nossa pequena hoje está muito mais carinhosa, atende aos comandos e está bem mais calma. Recebemos todas as orientações para continuar tendo sucesso com a Ivy. Indicamos de olhos fechados o trabalho da Flávia, excelente profissional."

Marina e família

Boris

"O meu Golden Boris chegou em casa com 4 meses e com muita energia... Fiquei feliz mas também preocupada, pois afinal a "mãe" dele tem 74 anos, e como eu iria passar com o meu novo filhote?
Boris

A minha sorte foi conhecer a Flávia e tudo mudou! Hoje, com apenas 4 aulas, o Boris aprendeu a fazer o que peço e já caminhamos com tranquilidade. É verdade que como um bom Golden ás vezes pega minhas almofadas e sobe no sofá... rsrss 

A tia Flávia realmente é uma ótima profissional, mas sobretudo ama seus aluninhos e com carinho ensina. Ela foi um anjo que apareceu para mim e o Boris. Obrigada minha querida."

Wilma e Boris


Aba 


"Tentei alguns treinadores para me ajudar com a Aba, mas não conseguia ver resultado algum, mesmo após alguns meses de aulas, ela continuava com os mesmos problemas. 
Aba

Costumava roubar comida, papéis e outros objetos como facas ou materiais plásticos de cima da mesa, e era muito difícil corrigí-la, já que não fazia isso na nossa frente, somente quando não estávamos olhando. Outros problemas que ela apresentava era ao andar na rua, sempre puxava descontrolada, mesmo com enforcador, e demonstrava grande dominância com outros cães, tolerando apenas aos mais submissos. 

Após estas tentativas falhas, um amigo me indicou o trabalho da Flávia, que treinava seu cão. Já na primeira aula vi a diferença dos outros treinadores, pois ela ficou em casa até entender o problema, e tentou várias maneiras de fazer com que a Aba parasse de roubar comida, até que conseguiu. O mesmo aconteceu com os passeios, e até mesmo a agressividade diminuiu, possibilitando que ela brincasse com outros cães. 

O grande diferencial da Flávia é que ela não desiste até encontrar uma maneira de resolver o problema, sempre respeitando cada animal e os tratando com muito amor e carinho. Muito obrigado Flávia por seu trabalho e por sua dedicação, nós aqui em casa somos muito agradecidos.

Luis e família




Lego


"Flavia, gostaria de agradecer as aulas com o Lego!

Parece até milagre, o quanto eu e o meu filho tínhamos medo de cachorros, e saímos super confiantes, seguros e nos divertindo com o Lego. Valeu muito a pena! 
Lego

Você é maravilhosa, muito experiente e sábia. Muito obrigada mesmo!"

Juliana e Marcelinho



Bacon

"A Flávia é uma excelente profissional! Me ajudou muito a dominar meu bulldogue inglês, Bacon, que era muito teimoso, e estava comendo tudo em casa e fazendo as necessidades em qualquer lugar...
Bacon
Sou muita grata e recomendo seu trabalho!

Bjs e lambeijos!
Melise e família

Nina


"Vai fazer dois anos que a Nina chegou aqui em casa e mudou nossa vida por completo! Ela é linda, sapeca, agitada, cheia de energia, e muito carinhosa, trazendo ainda mais amor para nossa família. Não tenho ideia de como vivemos tanto tempo sem ela... Mas a Nina teve uma história complicada nos primeiros meses de vida. Foi abandonada num saco de lixo, numa caçamba de material de construção, juntamente com suas três irmãs. Embora tenha sido resgatada, e tenha chegado aqui em casa com cerca de três meses - portanto, muito pequena - desenvolveu um comportamento muito ansioso, não gostava de ficar sozinha e odiava sair para passear - medo de carros, barulhos e outros cães - e também tinha muita dificuldade de fazer xixi no lugar certo. 
Nina

Com a ajuda da Flávia e as dicas práticas (e muito simples!) que ela nos deu, rapidamente conseguimos resolver a história do xixi - o que foi um alívio imenso, uma vez que moramos em apartamento. Também aprendemos brincadeiras que ajudam a gastar a energia dela, e recebemos dicas para passear com a Nina sem estresse, e como diminuir a ansiedade dela quando precisamos sair e deixá-la só.

A Flávia é competente, tem uma energia incrível e principalmente, é apaixonada pelo que faz. Há pouco tempo, indiquei os serviços dela para uma vizinha que tem uma cachorrinha muito estressada, e mil vezes mais medrosa do que a Nina. Tive a chance de assistir o trabalho da Flávia com a cachorrinha, e fiquei maravilhada com as mudanças que ela conseguiu em apenas um único encontro.

Indico o trabalho da Flávia com o coração cheio de amor e gratidão!"

Goimar e família


Chiquinha


Chiquinha
"Tudo começou com a adoção da Laura, que acabou se tornando Chiquinha, uma mestiça doidinha de tudo, sofrida e ciumenta... Não deu "liga" com a outra cachorrinha da família, a Lola, e também tinha alguns probleminhas de comportamento. 

Então nos foi apresentada a Flávia, que fez algumas aulas com a Chiquinha, e depois alguns passeios com ela e a Lola, e desde então deixamos de ter problemas na convivência de
ambas! Inclusive ao ponto da Chica aceitar, sem problemas, a presença de outra filhotinha no convívio familiar!

Ela ainda continua sendo maluquinha, mas é muuuito carinhosa, brincalhona, feliz e bem mais obediente.

Temos muito que agradecer à Flávia, e sempre que alguém tem problemas com seus animais, eu falo sobre ela, que é ótima com animais e com as pessoas também!"

Izabel e família


Eva


"Quando a Eva, uma cachorrinha da raça Jack Russel Terrier chegou, logo percebemos que ela era problemática: ansiosa, agitada, teimosa e voluntariosa. Como ela seria parte da família precisava ser educada, para conviver melhor com todos.

Após o trabalho de adestramento com a Flávia, e com nossa prática dos ensinamentos no dia a dia, ela se tornou um cachorra adorável! Todos a
Eva
amam!

Educar também é um ato de amor, eduque seu cãozinho!"

Nancy e família



Laysa

"Quando a Laysa chegou em casa foi uma festa, trouxe muita alegria para nós! Como somos em três mulheres, logo começamos a mimar essa pequena como nunca... Devido a esse fato, ela se sentiu dona de tudo. Mordia, pegava chinelos, roía tudo, faia xixi em lugares errados, e mordeu minha mãe muitas vezes, machucando de verdade...

Conversando com o veterinário, ele nos indicou a treinadora Flávia. Imediatamente entrei em contato com ela e iniciamos o trabalho de adestramento.
Laysa

Em nosso primeiro encontro, já recebemos dicas maravilhosas que resolveram alguns de nossos problemas, principalmente em relação ao domínio que ela tinha sobre nós. Continuamos com mais alguns encontros, que foram enriquecedores, e a cada aula aprendíamos muito, e conseguíamos controlar nossa pequena!

Nós só temos a agradecer a paciência e o profissionalismo da Flávia, que se tornou um membro de nossa família. Nosso muito obrigada, você merece tudo de mais maravilhoso! Grande profissional!"

Bjs nossos e caninos da Laysa

Claudia e família

Lord

"Chamamos a Flávia porquê nosso cãozinho Lord fazia a casa toda de banheiro... Estava nos deixando loucos! Então, sua veterinária nos indicou o trabalho de adestramento e decidimos tentar.

Seguimos o treinamento dado pela Flávia, nos empenhando em fazer direitinho como ela havia explicado, e que surpresa! Até quando o levamos em outra casa, é só seguir o que foi ensinado lá em casa que ele faz certinho! 
Lord

Gostamos tanto do resultado que a procuramos novamente, porquê Lord começou a ficar muito ansioso com nossas partidas e chegadas. 

A chave de tudo é seguir à risca tudo o que ela ensina. O adestramento não é só para os cães, temos que mudar nossas atitudes para ver os resultados.


Vale muito a pena investir ma educação de seu cão, e para isso recomendamos o trabalho da Cães Educados."


Obrigada pela ajuda Flávia!


Luciana, Thiago e Lord



Bernardo


Um belo dia o Bernardo entrou em minha vida, e eu logo percebi que não daria conta de lidar com ele sozinha. O dono do pet me aconselhou adestramento, e me deu o cartão da Flávia. 

Ela me conquistou no momento que falamos ao telefone, com sua simpatia, mas principamente, sinceridade e profissionalismo, pois informou que ainda era cedo para iniciar o adestramento, e indicou que eu ligasse em mais ou menos dois meses.

Retornei nesse período, e avisei que ele era teimoso e estabanado, e que vivia arrumando encrenca com os outros animais da casa. Já previa o trabalho que ele daria, pois além de tudo, era um filhote muito desconfiado e não gostava de estranhos.

Porém, a Flávia não teve nenhum problema em se aproximar. Em uma única aula os dois já viraram grandes amigos, e o Be já respondia aos comandos que ela dava. Fiquei encantada!

Bernardo (Be)
Ela deixava lição de casa nós seguíamos seus ensinamentos. Ele começou a mudar seus hábitos  e se tornou um cão obediente. A Flávia me mostrou que eu também precisava de treinamento, já que o mimava demais e ele abusava... acabei dando mais trabalho que o Be! rsrss

Hoje estamos muito bem educados! Agradeço a Flávia por todo o carinho e paciência que teve para com a gente. Recomendo a Cães Educados sempre!

E o Be também, é completamente apaixonado pela tia Flávia!

Rosy e família canina e felina


Bella

"Depois de uma semana que a Bella estava em casa, já percebemos que ela era muuuito dominante. Sempre tentando nos desafiar, destruindo tudo o que via, latindo, não queria dormir sozinha, e muitas outras questões problemáticas para nossa convivência harmoniosa...  
Bella

Recebemos a indicação através da veterinária dela de contratarmos um adestrador. Pesquisamos muito e encontramos a Flávia, nossa salvadora!!!

Depois de algumas aulas e dicas a mudança foi gritante... a Bella passou a nos respeitar mais, ficou menos ansiosa, entendia os comandos e dormia em paz...!

Até hoje, quando ocorre alguma mudança no comportamento da Bella, gritamos para a Flávia e tudo volta ao normal. Sem contar o carinho e amor que ela tem pela profissão!

Recomendo a Cães Educados para todos!"

Ana Beatriz, Lucio e Bella



Mel 


Mel
"Sou a mãe da Mel. Ela foi um presente para mim, mas como todo filhote fazia sujeira por toda a casa! Minha família e eu estavámos ficando loucos! 

Recebemos a indicação da treinadora Flávia e então já a chamamos para nos ajudar. Ela nos passou dicas super legais na consulta, e nossos problemas com a Mel foram resolvidos, em apenas 01 consulta! 

Penso que para trabalhar com cães tem que tratá-los muito bem, e a Mel amou a Flávia logo de cara! 

Obrigada Flávia!

Daniela Schmidt e família




Jade 


"Tenho dois filhos pequenos e a chegada da Jade, uma Scottish Terrier, troue muita alegria á nossa casa, mas também muuuita bagunça!

Jade
A querida Flávia nos ajudou muito, e o melhor de tudo, envolveu os pequenos no treinamento, tornando os ensinamentos para a Jade momentos muito prazerosos para toda a família!

Até aula de anatomia ela deu para os meninos, para ensinar os cuidados que eles deveriam ter na hora de carregar a filhote.

Foram momentos muito especiais!

Renata e família 



Pena, Pingo e Mac

"Se você está em São Paulo e tem cachorro, e se seu cachorro late por qualquer motivo, come e rói o que não deve, puxa na hora de passear, se esconde na hora do banho ou fica mega, super, hiper ansioso na hora de sair, esse post é para você... A tia Flávia anda fazendo milagres por aí, e um destes foi com a galera aqui de casa! Em apenas 01 aula, os maiores problemas que eu tinha com os cães praticamente acabaram, foram embora!

Pena, Pingo e Ma


Aliás, se você não utiliza trabalho de hotéis para cães quando vai viajar, e prefere deixar seu cachorro em casa, ela também faz esse trabalho de home care, e cuida de nossos bichinhos para nós!
Nossos cães agora são Cães Educados!"

Ana Carolina e família




Pipoca 

"Há mais ou menos 1 ano ganhei a Pipoca do meu marido, uma Border Collie. De início ela parecia ser bem calma, mas logo começou a apresentar sérios problemas de comportamento...



Era muito agitada, pulava nas pessoas, visitas e nas crianças e na hora de passear ela puxava muito a guia, era impossível!! Comia tudo o que via pela frente... Já tínhamos desistido dela, estávamos decididos a dar a Pipoca, e foi aí que encontramos a Flávia. 
Pipoca


Depois de conversarmos se daríamos mesmo para outra família, ou tentaríamos o trabalho de adestramento, decidimos educar a Pipoca. A Flávia vinha em casa, eu fazia os treinos com ela e me ensinou como educar nossa cachorra, e tirar os problemas que ela apresentava. É muito importante que a família toda esteja envolvida no processo de educação do cão.


O que eu tenho a dizer é que a Pipoca é outra cachorra! Ficou calma, muito mais obediente e decidimos que vamos ficar com ela!

Então antes de desistir do seu bichinho de estimação, pense bem, eduque e ensine para ele aprender o que você espera que ele faça, como espera que se comporte. Vale muito a pena!

Luana e família




Mitiko

Eu trouxe a Mitiko para a minha casa porque minha mãe, já idosa, não estava dando conta de cuidar dela. Ela é uma Pinscher de quase 9 anos e chegou aqui obesa, com dor e muito agressiva com outros cães na rua porque nunca saía de casa. 


Em um dos nossos passeios, que nunca eram muito calmos porque ela sempre avançava em outros cães, encontrei a Flávia em um adestramento. Numa conversa rápida, perguntei a ela se haveria jeito de educar um cão 

mais velho como a Mitiko e ela disse que sim. Isso me deu um pouco de esperança, mas só iria acreditar vendo, claro. 


No intervalo entre este encontro e a primeira aula, a Bisteca, uma Fox Paulistinha de 4 meses, juntou-se à família e o treinamento passou a ser para as duas. Mas eu não me esqueço de que, desde o primeiro dia de “aula”, a Mitiko fez o ditado “cães velhos não aprendem truques novos” ir por água abaixo!


Até hoje a Mitiko tem sido a melhor aluna da classe! E a Bisteca por enquanto está de recuperação! rsrss


Obrigada Flávia, você tem nos ajudado bastante!


Maura, Marcos, Mitiko e Bisteca




Lili



Nossa Shitzu Lili chegou em casa com 45 dias. Veio num momento delicado na minha vida e do meu filho, pois acabávamos de perder meu marido. Ela trouxe alegria e  vivacidade típica de um filhote para nossas vidas.

Não demorou muito, entretanto, para que a Lili se fizesse dona do território e começasse a apresentar comportamentos inadequados. Bastava que nos sentássemos à mesa para comer que ela latia sem parar. Como eu acordo cedo, por volta das 6h00, tinha praticamente que tomar o café da manhã escondida para ela não latir e incomodar os vizinhos, uma vez que moro em prédio. Quando tocava o interfone  não conseguia escutar nada devido aos latidos ensurdecedores da Lili. Ela não aceitava ser contrariada. Por mais que eu tentasse corrigí-la nada adiantava. Com relação aos seus brinquedinhos ninguém podia chegar perto que ela rosnava e avançava como um leão. O episódio que mais me assustou foi quando tentei tirar de sua boca uma folha que caiu do vaso e ela me mordeu feio...

A veterinária da Lili havia me dado o cartão da Flávia e naquele mesmo dia liguei para iniciarmos o adestramento. Com paciência e carinho, a Flávia foi me ensinando a lidar de outra forma com a Lili. Para meu espanto, de imediato a Lili atendeu aos comandos. Com o auxílio de técnicas educativas fui aprendendo que o dono tem que ser o chefe da matilha. Em algumas horas, a Lili já estava se mostrando atenta e obediente. 

Segui todas as orientações da Flávia e hoje posso afirmar que a Lili é outra cachorrinha. Está muito mais calma, parou de mordiscar, realizamos nossas refeições com tranquilidade, atendo o interfone perfeitamente bem e nossa relação com ela ficou bem melhor. Agora temos uma cachorrinha companheira, alegre e bem educada. Obrigada Flávia!

Quando achávamos que estava tudo perdido com a Lili você apareceu para ser uma luz no nosso caminho.   

Um beijo e mais uma vez, obrigada por tudo!

Cecília


Meg 


"Conheci a Flávia há uns dois anos ou mais, no Parque das Àrvores, um ótimo local para conhecer pessoas e cãezinhos. Ela estava num grupo de pessoas onde eu conhecia um cão chamado Foose e dua família. Fiquei com a referência dela como a Flávia de Perdizes, adestradora .


Há uns 6 meses meu irmão comprou um cachorrinho e a chamou para adestrá-lo por indicação de um amigo dele. Conversando com minha cunhada ela falou sobre a Flávia e daí eu associei os fatos. Liguei para ela e era mesmo quem eu estava pensando.

Contratei uma aula para receber orientações sobre meu comportamento com a minha cachorrinha que resolveu me morder... 


É espantoso, mas em apenas uma tarde, com as dicas e orientações mais os acessórios que a Flávia me passou, a Meg é “outra pessoa”!!!


Ficou submissa a mim, me obedece, está um doce, e não tentou mais me morder! Além disso, recebo hóspedes cachorrinhos enquanto as famílias viajam, e ela também me orientou em como lidar com eles e a Meg!


Meu próximo hóspede será o Barney, cachorrinho do meu irmão ligado no 220V... mas eu tenho certeza que praticando as dicas e orientações da Flávia vou tirar de letra, e colocar o Barney na linha antes de devolvê-lo para a família!"


Valeu Flávia! Obrigada por tudo!


Mônica e Meg




July e Nina

"Nina chegou em maio de 2013, p fazer companhia á July, então com 7 anos de idade. Pensamos que seria bom para ela ter uma companheira, e que seriam grandes amigas. Mas infelizmente não ocorreu conforme o planejado...

July, quando a Nina começou a crescer, passou a disputar o território e as pessoas da casa com a recém chegada, e nossa casa se transformou em uma praça de guerra canina! Tivemos que colocar várias divisórias no apartamento, pois elas brigavam até através dos portõezinhos! Chamamos uma adestradora para nos dar uma consulta, mas de nada adiantou. Depois, chamamos outra adestradora desta mesma empresa, que nos deu várias aulas de adestramento, mas também não resolveu o problema... 


Meu marido já não aguentava mais, e estava a ponto de doar a Nina, quando consegui o contato da Flávia através de uma indicação. O convenci a tentarmos pela última vez, e ele, muito desacreditado que daria certo, aceitou.

Na primeira aula que a Flávia deu para as meninas, já levou uma mordida da July no joelho, quando esta tentava atacar a Nina que estava comigo na outra guia... Mas, com paciência e dedicação, continuou com o trabalho de reeducação das cachorras, e também nos ensinou a modificar alguns comportamentos nossos em relação a elas.

Fizemos tudo o que ela nos ensinou, seguimos o cronograma de adestramento á risca, implantamos suas dicas e técnicas e, em apenas 08 aulas, 01 mês de aulas, conseguimos juntar as duas no mesmo ambiente novamente! Foi um milagre, todos ficamos muito emocionados, e agora as meninas convivem no mesmo espaço, sem divisórias e sem brigas, uma fazendo companhia p a outra!



July e Nina convivendo em Paz e Harmonia!
Gostaria de deixar este recado para quem estiver passando pela mesma situação que eu passei, que tenham paciência, calma e contratem um profissional da área, pois vale muito á pena manter o animal junto á você, do que doá-lo, tentando se livrar ou passar ou problema para outras pessoas.

Continuaremos seguindo os ensinamentos que a Flávia nos deu, para manter a Paz e Harmonia em nossa casa, para sempre, com nossas duas cachorrinhas muito amadas!!!"

Denise e família




Puka

"Sentindo a necessidade de ter um cão que ficasse no quintal e fizesse barulho quando alguém chegasse perto do portão, comecei a busca em todos os lugares.
Um dia minha cunhada me falou que uma cachorra tinha dado cria e estava com 7 filhotes. Infelizmente somente uma sobreviveu dessa ninhada e eu fui buscá-la.
Estava abandonada e cheia de pulgas e carrapatos. Com paciência e muito banhos consegui deixar ela limpinha. O nome dela seria Pulga, mas achei mais bonitinho Puka. 

Puka é uma cachorrinha cheia de energia, e estava deixando a todos aqui em casa malucos, principalmente minha mãe, que é a pessoa que passa a maior parte do dia com ela. Fazia as necessidades por todo o quintal, comeu todas as plantas da minha mãe, pulava nas 02 Daschunds que já tínhamos antes e na gatinha, para brincar, mas elas, assustadas, saiam correndo e não queriam nem saber da nova moradora... Pulava em todas as visitas, em nós, claro, quando chegávamos em casa, arranhando a perna de todo mundo... E bastava uma vacilada no portãozinho e pronto! Lá ia o furacão correndo como uma louca pela casa, pulando nas cachorras e na gata, pegando tudo o que via pela frente...

O veterinário me indicou a Flávia e começamos com o trabalho de educação da Puka. Ela ensinou nossa cachorrinha a se comportar, mas também nos ensinou a lidar com a personalidade dela, como controlá-la, treiná-la, e fazer com que respeitasse os limites e rotinas da casa. Hoje a Pukinha está bem mais comportada, mais calma, já sabe onde deve fazer as necessidades, aprendeu vários comandos para obedecer no dia a dia, fica parada do lado de fora do portãozinho da cozinha.

Enfim, o treinamento valeu muito a pena! E continua para nós e para ela, pois temos que nos manter firmes para que ela obedeça sempre. Puka é muito carinhosa e traz muito amor para minha vida, e agora começamos a fazer caminhadas, assim ela gasta um pouco da sua energia, e também me ajudou a sair do sedentarismo... rs

Obs: a mãe da Puka foi atropelada e não conseguia mais andar, minha cunhada a levou no veterinário, depois para sua casa, meu irmão fez uma cadeirinha de rodas com tubos PVC e hoje ela consegue andar, mas com um pouco de dificuldade. A Puka tem a mesma energia que a mãe, e é tão guerreira quanto!"

Lupercia e família



Janis

"Quem diria que de dentro de uma caixa no meio de uma trilha eu encontraria uma grande companheira... Janis Joplin, minha cachorrinha sapeca. A melhor vira lata do mundo! Ela chegou no dia 28/12/2013 com apenas 2 meses, toda machucada, e com barriga inchada de verme. Se um anjo não a tivesse encontrado, provavelmente não duraria mais uma noite.

No começo foi difícil, muito difícil, e pensei que talvez nunca tivesse nenhum animal dentro de casa. Minha mãe falava que não iria me ajudar limpando as sujeiras. Lembro–me da primeira noite, como ela chorou! Logo levamos ao pet, foram 2 meses de tratamento, ela estava com uma espécie de queimadura e sarna, então toda vez que eu encostava nela, tinha que lavar as mãos e ter todos os cuidados.

Mas logo Janis foi crescendo e se tornado uma bagunceira, tudo destruía,  diversas roupas, brinquedos, sapatos e tudo o que via pela frente. Daí começou a pular sem parar! Hoje está com 09 meses e sapeca demais, então decidimos ir atrás de ajuda. 



Chegamos até a Flávia por indicação e estamos com apenas 02 aulas e minha Janis já é outro cachorra! Porém sei que ainda temos muito a fazer. Mas hoje ela já começou a obedecer quando uso o clicker, e também respeita as minhas broncas. Conseguimos brincar com a Janis, sem que ela fique nos mordendo. Brincamos muito com ela, e tudo o que a Flávia fala, procuro sempre repetir diversas vezes. Hoje já senta quando falo, e não pula mais quando alguém chega em casa. 

Tenho certeza que com a ajuda da Flávia a Janis ficará cada vez mais calma. Hoje Janis leva uma vida de rainha, tudo que é novidade no pet shop, temos em casa! Janis toma banho todos os finais de semana, é uma vira lata com pedigree de verdade. Amor e carinho para ela não falta!"

Janis antes
Janis agora
"Às vezes, é preciso um simples cão, com péssimos modos mas intenções puras, para nos ajudar a ver o essencial.”

Sueli  





Adam


" Estávamos traumatizados com cães devido a uma York que tivemos. Era extremamente indisciplinada, quando dava vontade fazia xixi até no sofá! Tentamos várias formas de educá-la e nada deu certo. Passados muitos anos adoeceu e morreu. Jurei a mim mesma que nunca mais teria cachorro em casa, até que meu marido, atendendo ao desejo de minhas filhas, trouxe um Cocker Spaniel, para o qual demos o nome de Adam, e  começamos tudo outra vez... O filhote só não nos roía, porque não deixávamos, o resto ele triturava, xixi na casa toda, o sujeito roeu até a churrasqueira de tijolo...!

Decidimos chamar uma adestradora, a Flávia chegou, e logo após a primeira aula o bebê já começou a mudar. Parou de fazer xixi pela casa, parou de roer as coisas e assim foi ficando cada vez melhor! Tudo o que ela nos ensinou foi feito, ela dava a aula e durante a semana minha filha treinava com ele, insistentemente, com todos os acessórios, do jeitinho que ela fazia. Continuamos utilizando tudo o que ele aprendeu com o treinamento, para que nem ele e nem a gente esqueça.

O Adam fará 8 meses no próximo dia 19 de junho, tem muita energia, como todo filhote, mas todas as dicas e técnicas aplicadas no adestramento, somados ao treinamento, fazem com que ele fique bem mais calmo.

Eu só tenho que agradecer, porque a Flávia não treinou só ao cachorro como nós também, pois a disciplina foi ensinada à toda a família, e meu trauma com cachorros ficou no passado. O bebê encanta a todos com aqueles olhinhos de quem quer passear, e eu que tinha uma vida extremamente sedentária não resisto e vou para a rua com ele, enfim, estamos todos em treinamento...

É tudo de bom, professora carinhosa, competente, atenciosa, acreditem ela liga sempre para saber do nosso bebê!

Muito obrigada Flávia, o bebê manda lambidinhas também!"

Adam e família :)



Amora


"Resgatamos a Amora na Rodovia Dutra, perto de São José dos Campos, no dia 28/07/2013, com a intenção de encaminhá-la para adoção, já que na rodovia ela estava correndo o risco de ser atropelada. Combinamos de ficar com ela por aproximadamente duas semanas, pois contatamos amigos em São José na expectativa de encontrar o dono dela.

Entretanto, ela estava no cio e o nosso labrador Joe se apaixonou, sem que notássemos.... O resultado foi que, aproximadamente dois meses depois, no dia 7/10/2013, nasceram cinco filhinhos, e conseguimos doar 4 deles. E assim, ela foi ficando, foi ficando e ficou!

Depois desse turbilhão de emoções, a Dona Amora mostrou-se bastante agressiva com outros cachorros do prédio em que moramos e também quando passeávamos na rua.... Além disso, estranhava crianças, chegando a pular (sem morder) na minha sobrinha de 8 anos, um pouco agitada. Fiquei muito preocupada e resolvi procurar ajuda.

A primeira aula da Amora com a Flávia foi no dia 29 de dezembro, pois eu estava realmente tensa com a situação e com a possibilidade de ter que encaminhar a minha querida Amora para adoção....

A Flávia já me tranquilizou logo na primeira aula, avaliando o comportamento da Amora e me dizendo que ela tinha salvação! Fiquei realmente muito feliz com essa notícia! Fizemos diversas aulas e a Flávia me deu várias dicas de como ensinar a D. Amora a não latir para os outros cãezinhos na rua, entre outros ensinamentos.

Hoje a D. Amora está bem, bem mais tranquila. Minha sobrinha de 8 anos adora levá-la para passear e ela vai tranquilamente..... Comporta-se bem também nos passeios, sem ficar latindo para os outros cães ...

Só temos a agradecer a Flávia pela grande ajuda! Tenho certeza que a Dna. Amora e o Sr. Joe também agradecem!"

Luciana e família



Luis

"Chegamos até a Flávia (por indicação) como muitos que estão apavorados em ter mais um cão terrível, indisciplinado, chato, dominador, irreverente, etc. Nossa experiência anterior não havia sido muito positiva, pois o Cocker Ugo era tudo isso e mais. Perdemos este "amigo" para uma doença e logo resolvemos adquirir outro cão. Assim o fizemos e compramos o Luiz, um Bulldogue Inglês muito lindo, bebê, mas... raça com fama de destruidor de lares. 


Então, entrou em ação a adestradora Flávia, que com muito carinho, dedicação e um jeitinho todo especial passou a nos orientar. Como sempre dizemos, ela adestrou o Luiz e a nós também. O sucesso foi imediato e em pouco tempo tínhamos um cachorro fofo: dá a patinha, rola, cumprimenta, senta....e também comportado, obediente, calmo.  


Com o passar do tempo o adestramento foi substituído por passeios de socialização. O Luiz adora o dia do passeio. Fica alvoroçado quando o interfone toca e eu digo: é a Flávia! Aliás, quando ele começa a experimentar se pode pôr "as mangas de fora" e fingir que nunca foi educado, é só dizer - "Flávia, oh o Luiz aqui oh!", que ele volta a ser um "santo", rsrss...

Assim, além do cão educado, ganhamos uma grande e querida amiga.

Flávia, muito obrigada por tudo!

Que você possa sempre ajudar outras pessoas que precisarem ter um cão educado.

Muita Luz e um beijão de todos nós,"    

Elcídia, Pedro, Amanda e Tiago

 

Flecha

"Eu e minha esposa estudamos muitas raças de cães quando decidimos dar um bicho de estimação para nosso filho de cinco anos. Qual a melhor raça? Quais seriam as características ideais para um cão ideal?

"Depois de muito pensar, adiar e estudar raças, depois de muito conversar com amigos ligados à associações e ONGS que tiram cães das ruas, decidimos adotar. Sabíamos que além de dar um cão para o nosso filho estaríamos tirando um cão da rua. Foi assim que escolhemos a melhor raça de todas: uma bela vira-lata, com mistura totalmente indefinida... rsrs 

Quando adotamos a Flecha em janeiro de 2013, ela tinha meses e morávamos em uma casa grande, com muito espaço para ela. Porém, três meses depois da sua adoção, qdo ela tinha seis meses, sofremos um assalto e optamos por morar em um condomínio fechado. Nossa casa atual é muito pequena em relação à outra, o espaço da Flecha diminuiu e ela não parava de crescer. 

Em pouco menos de um mês na casa nova, a Flecha não se adaptou ao espaço e comeu meus dois sofás, uma persiana, parte de uma porta, o cifão do tanque, etc, etc. O que fazer? Nos desfazer da cachorra, embora era o que a gente mais ouvia dos outros, foi uma alternativa que nunca alimentamos. Porque a Flecha já era amada demais por nossa família, nosso filho... Enfim, ela tb é nossa filha!

Foi nesse período que nos indicaram a adestradora Flávia Campos. Em pouco menos de dois meses de aula, a Flávia ensinou muitas coisas para a Flecha que a ajudou a ficar bem menos ansiosa. Também nos ensinou vários técnicas para a Flecha ocupar o tempo dela enquanto está sozinha. É claro, como toda vira-lata peralta e com saúde, ainda apronta das suas como caçar mosquitos, dar uma rabada na árvore de Natal, etc. Mas o fato é que depois de sua passagem pela Cães Educados nossos sofás, portas e persianas nunca mais foram mordidos e hoje a Flecha é uma cachorra muito amada por onde passa."

João e família


Heitor

"O Heitor foi encontrado vagando perdido em uma avenida movimentada. Eu, que só tinha gatos, estranhei a dependência que ele rapidamente desenvolveu comigo. 
Heitor

Ele era muito ansioso, não suportava ficar longe de mim, latia muito para pessoas e outros cães na rua. E não conseguia ficar nem um minuto amarrado em lugar nenhum (por exemplo, para eu entrar na padaria): ele latia loucamente e roía a guia até se soltar. Desde as primeiras semanas eu comecei a pensar em contratar um treinador. 

Além de educar o Heitor, a Flávia me ensinou a ensiná-lo. Agora o Heitor é quase um lord! Super comportado no passeio, não late mais para outros cachorros e pessoas. Senta no meio fio para esperar atravessar e ser recompensado. A ansiedade melhorou e ele até consegue ficar me esperando na porta do supermercado - fica um pouco ansioso ainda, mas não late e nem rói a guia. 


E até já foi em uma festa de família, com crianças e outro cachorro, e se comportou super bem e todos o adoraram. 


Eu super recomendo o investimento em adestramento. Não existe cachorro impossível, é só saber educar."


Ale e Heitor




Cherry e Deise


"Adotei a Cherry e a Deise ainda filhotes. Adotei as duas juntas para que uma fizesse companhia para a outra, já que trabalho o dia todo, então ficariam sozinhas.


Talvez por terem ficado muito presas quando pequenas, são muito medrosas e eu não conseguia sair na rua com elas nem mesmo para um simples passeio...
Procurei várias alternativas, até mesmo alguns passeadores mas não deu certo... não era fácil sair com as duas.
Tinha desistido até que soube da Flávia, resolvi tentar mais uma vez... e está sendo muito bom! 


Primeiro ela me deu algumas dicas de treinamento para que as meninas ficassem mais calmas e obedientes, e agora está levando ao Passeio Recreativo toda semana. 

Está sendo ótimo, já noto a diferença nelas, estão mais calmas em casa e menos ansiosas. Ainda fazem algumas folias, afinal elas ainda são muito jovens, mas acho que está valendo muito!"

Estou bem feliz com o seu trabalho Flávia!
Bjos

Cissa





Fred

"Olá! Tenho um mestiço de Pitbull, que adotei com 2 mêses de idade. Na primeira semana ele era um santo, mas depois foi dominando a casa e se mostrando um pouco agressivo! Ele enrrugava o focinho e vinha prá cima de mim, e também da minha mãe... Até pensei em doá-lo, mas fiquei com o coração apertado e não quis desistir, foi onde procurei a Flávia.


Ela começou com os comandos básicos, os quais ele, a coisa mais linda, aprendeu muito rápido! Hoje está com 6 mêses e faz todos estes comandos e mais alguns! Cheio de graça, ele procura o bichinho, traz a bola, não pula em mim quando eu chego do trabalho, etc... Mas ele ainda tinha os 5 minutos prá me atacar, já que ele cresceu e eu me tornei mais fraca...
Daí liguei para a Flávia de novo, que me ensinou a me impor ao Fred, mostrando que eu sou a dona e ele o cachorro. Com as técnicas ensinadas por ela, ele passou a me obedecer rapidinho! Depois de muitas roupas rasgadas, mãos e braços mordidos, hoje ele faz tudo o que eu falo! Ele obedece a todos os meus comandos!
Até beijinho no focinho eu consigo dar, sem receber uma mordida no nariz em troca! 

Ele está um amor e eu tenho que agradecer à Flávia por todos os ensinamentos, pois hoje eu tenho um cachorro companheiro, que me dá muita alegria e amor!"


Obrigada Flávia!!!


Beijos, Thais e Fred.





Cacau



"Cacau é a nossa linda Bull Terrier de um ano e estamos com ela desde que tinha um mês. No começo, pensamos que poderíamos educá-la sozinhos, mas vimos que estávamos totalmente enganados, pois se nos primeiros três meses ela se comportava como um filhote de qualquer outra raça, logo logo começou a mostrar toda a sua força e impetuosidade, associadas ao forte gênio.
 

Aí, percebemos que precisávamos da ajuda de um profissional e chamamos a Flávia.
Acontece que o Bull Terrier é uma raça de força descomunal e grande teimosia, características que dificultam o adestramento.


Nas primeiras aulas já notamos uma melhora no seu comportamento, melhora que foi se acentuando com o tempo. A Cacau obedecia a todos os comandos, à excessão do "fica". Ela teimava em não esperar quando alguém chegava em casa e corria para a porta como um touro enfurecido, pulava na pessoa, lambia... Era preciso cuidado para não ser derrubado por ela.


Então a Flávia nos ensinou algumas técnicas de treinamento, formas de dar broncas, e conseguimos resolver esse problema. Agora ela obedece e aguarda quando pedimos que ela fique.


Ela está mais calma e obediente, inclusive durante os passeios diários, que tínhamos dificuldades de fazer.


A Flávia ressaltou que, se não tivéssemos acompanhado e participado de todo o treinamento, o resultado não seria o mesmo.E que para uma boa educação do animal é preciso uma parceria entre o dono e o educador.


A Cacau e nós agradecemos à Flávia Campos, da Cães Educados.
Obrigado!

Cacau, Rosangela, Remisson, Bruno, Monique, Fernanda e Amanda"






Frederico

"A Flávia foi uma luz no final do nosso túnel, moramos em apartamento e o Frederico fica sozinho a maior parte do dia, e todo dia era uma tristeza: ele chorava, gritava, raspava a porta, comia cortina, subia no rack, na mesa, acabava com a casa toda.... 


A conheci no pet shop e ela sugeriu uma análise comportamental, ela passou horas em casa ensinando o Frederico, papai e mamãe a se comportar rsrss...
Tentamos dedicar pelo menos 2 horas por semana aos ensinamentos da Flávia. Hoje o Frederiquinho é outro cachorro, ele está mais calmo, não faz "artes" e está cada dia mais lindo e amado, também não chora quando saímos para trabalhar, e isso é uma grande vitória graças ao conhecimento que recebemos, e à nossa dedicação no treinamento de nosso bebê canino!
Agradecemos muito aos ensinamentos e toda a consultoria que ela nos dá quanto temos alguma dúvida para o bem estar de nosso "filhinho".

Bjs de mamãe, papai e Frederiquinho."



Sophia

"Há seis anos, adotei uma vira-latinha linda e no mesmo momento me apaixonei. Ela foi crescendo e ficando cada vez mais esperta - e mais agressiva... A Sophia virou "persona non grata" na família, porque mordeu várias pessoas, então ela nunca podia participar das festas de família e ninguém tinha muita vontade de visitar minha casa. A mesma coisa acontecia com os amigos e cachorros. 


Ela precisava aprender a me obedecer - e eu fazia tudo errado nesse quesito!!


Depois do último Ano Novo, tive que decidir pedir ajuda p educar a Sophia - ela e a cachorrinha do meu irmão (outra vira-latinha esperta e briguenta) quase se mataram. Então fiz pesquisas pela internet e escolhi a Flávia.

No primeiro dia, acho que ela saiu desacreditada daqui - a Sophia só queria latir pra ela e mordê-la, além de não conseguir nem dar a pata. Mas a Flávia me deu todas as dicas do que eu deveria fazer e eu me apliquei, comecei a passear com a Sophia todos os dias e a treinar. Na próxima aula ela já dava a pata, sentava e me obedecia em várias situações! 

Assim continuamos, a Flávia me orientando toda semana e eu praticando todos os dias com a Sophia. Ao final, a Sophia já fez presença em uma reunião de família e se deu super bem, passeia na rua sem avançar em outros cachorros e sem latir nos portões e nem late mais quando alguém vem à nossa casa - ela senta e fica esperando meu comando pra dizer oi ao visitante. Ah! E o mais importante: ela até já recebeu visitas caninas e se divertiu jogando bolinha com elas!

Só tenho a agradecer à Flávia, que tem uma experiência enorme e soube muito bem como trabalhar com a teimosa Sophia, que já tem 6 anos, e aconselho a todos que adestrem seus cachorros, porque o relacionamento entre vocês vai melhorar 100%, como eu, que hoje tenho orgulho em falar da Sophia. E um conselho que eu posso dizer é que vocês também participem diariamente desta educação, porque assim será muito mais rápida!"

Nathalia


Foose

"Eu nunca me imaginei perto de um cachorro! Meu filho desde os 5 anos pedia para ter um. Sempre dei vários motivos p não termos um em casa, pois sempre tive medo, pânico mesmo à cachorro de qualquer porte. Todo aniversário era o mesmo pedido e eu p ganhar tempo dizia que qdo ele fizesse 15 anos e pudesse cuidar nós daríamos um a ele. O tempo passou, os 15 anos chegaram, e agora eu tinha dois bons motivos para ceder ao seu pedido: a idade para poder cuidar do seu amigo e o fato de ele ser um filho que só nos deu orgulho até hoje. Fomos escolher o cãozinho: os meninos punham as mãos pela grade para fazer carinho, eu não. 

Com 2 meses de idade ele chegou em casa. Estava tudo bem até o dia em que ficamos sozinhos em casa, e ele resolve brincar com o meu chinelo. Fui tirar o chinelo do Foose, e ele ficou irado comigo, enrugou o focinho, mostrou os dentes e à partir deste momento entrei em pânico! Joguei o chinelo na área de serviço, ele foi pegar e eu fechei a porta. 


Liguei para meu marido e falei: “Eu não posso ficar com esse cachorro! Estou com medo dele e ele tem só dois meses, imagina quando tiver um ano!” Foi um momento terrível pq minha filha menor também adora cachorro e o meu filho nem estava acreditando ainda que tinha ganhado um. Como eu iria tirá-lo? 



Pegamos um cartão de adestramento de cães na clínica do nosso Veterinário, que falou super bem do trabalho da Flávia, que pacientes dele tinham gostado muito do resultado. Eu liguei, desesperada, falando que ela precisava ir em casa pq o cachorro estava bravo, mostrando os dentes, querendo morder. Uma fera!

Começamos as aulas, e em quatro encontros com a Flávia, eu ganhei confiança, e me senti mais firme. Aqui em casa brincamos que o adestramento foi p mim, não p o Foose. 


Hoje, o Foose está com 1 ano e 4 meses. É a coisa mais linda da vovó. É mesmo incrível! Ele sabe tudo que eu não gosto, por exemplo: ele brinca com os meninos de abocanhar o braço deles, de pular nos meninos. Eles adoram essa brincadeira, já eu fico insegura e o danadinho sabe disso e não brinca comigo assim. Ele ainda pega o meu chinelo, mas eu falo: “Foose não, o chinelo da vovó não”. E ele imediatamente deixa o chinelo de lado, e olha p mim como quem diz: “Tá bom, vovó”. Nós nos amamos!"


Isto só foi possível por causa do trabalho da Flávia. Obrigada!


Patrícia e família


Frappé

"Frappé era um cão terrível, que comia sofás, cadeiras e mordia todas as visitas! Lembramos como se fosse hoje o primeiro encontro de Flávia com o Frapê, em nosso apartamento... Foi inesquecível! Ele rasgou a calça dela e deixou uma cicatriz em suas costas!


Nós, os "seus pais" não sabíamos onde esconder as caras, foi realmente uma situação constrangedora e pensamos: "sim, é o fim! sem ao menos ter começado!"
Mas Flávia, com toda sua paciência começou a dar suas aulas ao nosso pequenino e podemos dizer que foi sucesso total!

Em pouco tempo, o Frapê começou a ser mais submisso e aceitar nossos amigos por perto.

Temos a certeza de que também foi um desafio e tanto para a Flávia! Além de ser uma pessoa incrível, competente, que ama os animais e não mede esforços em ajudá-los, hoje, Flávia e Frappé se tornaram bons companheiros.

Ele adora sua professorinha, e nós, também ganhamos uma amiga."

Ass: Elaine, Carlos e Frapê


Anya

" Eu quase enlouquecia a mamãe e o papai em casa!! Roí 2 conjuntos de sofá em menos de 1 ano, roí batentes das portas, cadeiras, mesas, entre outras coisas. Depois comecei a ficar muito brava com outras pessoas e animais. 


A tia Flávia (como  a gente chama em
Anya
casa) surgiu através do veterinário onde fui tomar minhas vacinas. Muito simpática, conquistou meus pais logo de cara. Eu levei um tempinho... Tivemos nossos momentos ruins, mas a tia conquistou minha confiança e hoje quando ela chega a mamãe faz o "fica" para que eu não voe na tia (já que sou quase do tamanho dela!! hehehe). 


Aprendi algumas coisas, como dar a patinha, ficar no lugar e não ser tão ansiosa. 


Mamãe e papai estão muito felizes, sempre me recompensam com ossinhos, e agora que fiquei "mais calma" posso dormir no quarto com eles e não mais trancada por aprontar demais." 


Nós te Amamos!!! Bjs
Rafa, Carlos e Anya (lambida com direito a muita baba!) 

Lara

"Adotamos a Lara com, aproximadamente, 8 meses. Foi amor à primeira vista através de fotos. Naquele entusiasmo, no caminho de volta para casa já com ela nos braços compramos todos os apetrechos necessários para que tivesse conforto, calor, teto e demais cuidados.


Porém, em menos de uma semana, todas essas coisas foram simplesmente destruídas com suas lindas patinhas e lindos dentinhos, além de lixo revirado, vasos sem terra alguma, plantas devoradas, o jardim com buracos
cavados à procura de algo, ponta do móvel da sala roído, forro dos calçados, distraidamente deixados fora da sapateira, acabados, uma
esperteza incrível para perceber o portão aberto pronto para uma fuga,
ou seja, um caos total. O que fazer? Voltar atrás, jamais! Pior ainda
era o medo/desconfiança que ela tinha dos novos donos, sempre
melindrosa quando nos aproximávamos. 


Na primeira semana levamos Lara ao veterinário para os cuidados iniciais: vacinas, peso, alimentação adequada, retirada dos pontos da cirurgia de castração e ao comunicar a ele as questões em que tínhamos dificuldades, a orientação foi para
que procurássemos ajuda de um profissional que colocasse limites e
ensinasse a pequena a obedecer. 


Através da nossa filha soubemos da Flávia e imediatamente marcamos com ela uma entrevista e os horários para o atendimento sem colocar muita esperança no resultado. 


Mal sabíamos que a Lara precisava saber quem ela é e como atender as
ordens de seus donos. Com muita calma, falando pouco, sempre baixinho,
usando as mãos, gestos e retribuindo com petiscos, elogios e carinho
Flávia fez o que parecia impossível: tirar da Lara a agitação
resultante da grande ansiedade, fazê-la atender pelo nome, sentar-se,
esperar... atitudes que ela gravou com tremenda rapidez e que até hoje
se traduz em obediência, confiança e segurança. 


Se tivéssemos deixado que o "tempo" resolvesse, com certeza, a presença da Lara em nossa casa não seria tão prazerosa como é. Temos um carinho sem medida por
essa profissional que ama, valoriza e acredita no seu trabalho, fazendo-o não só como fonte de renda, mas colocando nele muita dedicação.

Maria Alice / Gilberto / Lara




Nina 

"Estamos com os serviços da Flávia há alguns meses e os resultados têm sido muito bons! 


Nina, nossa mini Yorkshire, tem aprendido muito. Como ela é bastante ativa, o trabalho de educação tem auxiliado a combater a ansiedade. Por isso está mais tranquila e mais companheira. Aprendeu a usar o banheiro dela e está claramente mais atenta ás nossas solicitações em casa.
Nina


Sempre que viajamos utilizamos o serviço de pet sitter, pois o carinho e a responsabilidade dela são óbvios. A Nina sempre volta bem. 

Na verdade, basta observar a alegria dela quando a Flávia chega para as aulas, ou quando a deixamos para viajar. É uma alegria poder contar com alguém que vai cuidar do pet como se fosse o próprio!"


Simone


Brisa 

"Os benefícios dos passeios que a Flávia faz com a nossa labradora Brisa são visíveis. 


Agora ela está em forma, parecendo uma
Brisa
miss ! Quando chega a hora do passeio ela quase "enloquece", fica com uma felicidade quase que impossível de segurar. 
A Flávia é muito atenciosa, carinhosa, competente e sempre com um sorriso no rosto.

A família da Brisa está muito feliz! Um beijo grande".


Anamaria e família 





Pingo

"Quando compramos o Pingo, não imaginávamos que aquele cachorrinho tão pequeno nos daria tanto trabalho! Roía os pés dos móveis, fazia suas necessidades por todo lugar da casa, comia tudo o que encontrava pelo chão. Já estava pensando em devolvê-lo á loja e então um amigo me sugeriu contratar um adestrador, ou alguém que pudesse me ajudar com todos esses problemas. 


Fiquei pensando no assunto e então consegui o contato da Flávia, e solicitamos sua visita. Gostei da forma como ela me apresentou seu trabalho e então começamos o treinamento. 


Em algumas aulas Pingo já era outro cachorro, muito mais comportado, começou a fazer suas necessidades no jornal, e todo o resto foi melhorando aos poucos. Hoje ele é um bom cachorro, e agradável companhia de minha filha, que não desgruda dele um minuto! Ele a obedece, vem quando nós chamamos, e fica esperando na porta antes de sair, entre muitas outras coisas boas que aprendeu a fazer. 


Realmente valeu a pena o investimento, obrigado Flávia por ter nos ajudado com nosso cachorrinho de estimação!"


Milton e família